Há vários modos por meio dos quais é possível ensinar algo. Vejamos alguns! Podemos ensinar algo de forma sistematizada, planejando cada passo, cada habilidade a ser aprendida, até que seja possível alcançar aquilo que desejamos. Um exemplo do cotidiano é o aprender a andar de bicicleta: primeiro damos a ela um triciclo, depois compramos uma bicicleta com rodinhas de apoio, para que a criança não caia, e por fim, quando ela já é capaz de se equilibrar sobre a bicicleta, nós retiramos as rodinhas.

Podemos também ensinar (e, consequentemente, aprender) por meio de regras. As regras são úteis porque elas permitem que aprendamos algo sem necessariamente experienciar. Como exemplo de comportamento controlado por regra temos o exemplo clássico de seguir as leis: não precisamos matar ou roubar para saber o que irá acontecer conosco, pois as  leis descrevem essa relação.

Além disso, podemos também ensinar/aprender por meio de modelos. Por exemplo, quando passamos no sinal vermelho, quando separamos o lixo reciclável, quando desrespeitamos alguém, quando paramos na estrada para ajudar outro carro com problemas, quando administramos o dinheiro… Nesse caso, sem especificar alguma instrução, aquele que nos rodeia pode aprender ao nos observar. NÓS SEMPRE ESTAMOS ENSINANDO ALGO! Mesmo que essa não seja nossa intenção… Pensando nisso, faço alguns questionamentos: o que sua vida tem ensinado como modelo aos outros? E em contrapartida, o que tem servido de modelo para você? O vídeo abaixo retrata muito bem esse tipo de aprendizagem. Vale ressaltar que não apenas os adultos são modelos para as crianças, mas os adultos também são para outros adultos, e as crianças para outras crianças e adultos; e não apenas para os que estão fisicamente perto, pois a mídia e a internet nos “levam para perto” de qualquer pessoa, em qualquer parte do planeta. Enfim, somos modelos para todos aqueles que, de uma forma ou de outra, tem contato conosco.