Minha cliente ainda estava nos primeiros cardápios após o procedimento. Pelo que me lembro, ela ainda não poderia comer nada sólido. Mas… sabe aqueles momentos em que parece que tudo coopera contra você? Então… era aniversário de um membro da família dela, e decidiram ir todos em um rodízio de pizza. E agora? O que minha cliente comeria naquele lugar de tentações?

Pois bem, chegando lá, ela olhou o cardápio e logo viu que havia algo que ela poderia pedir: um suco! Pediu um suco e degustou aquele líquido à noite toda, sob os olhares desconfiados daqueles que estavam perto dela e que pareciam sentir pena dela.

A noite passou. Muitas risadas, muitas piadas, muita diversão, e um suco: ela estava satisfeita.

Todos se despediram, era hora de ir embora; e então veio o troféu daquela noite. Aqueles que estavam dentro do carro com ela começaram a reclamar dizendo que haviam comido muito, que estavam passando mal, que iam explodir; sim, aqueles que ficaram com pena da moça que não comeria pizza, agora gemiam abatidos. E minha cliente? Ah, ela estava radiante. Não sentia fome nem fraqueza. E ver que estava no mesmo restaurante que aquelas pessoas, que se divertiu na mesma quantidade que elas, e que agora não estava passando mal como elas, isso não teve preço!

É comum pensarmos ser impossível nos divertirmos sem comer em excesso. Quando pensamos em comemorar algo, logo pensamos no cardápio. Nesse dia, minha cliente percebeu que é possível se divertir sem comer em excesso. Ou melhor, é possível se divertir até mesmo sem comer!